JEJUM DO MÊS DE RAMADÃ

Translated by : نجيح ..
Reviewing by : فاروق

JEJUM DO MÊS DE RAMADÃ

Autor:Bandar Ben Ahmed Al'Awlaki

 

 

Conteúdos:

I: Definição do Ramadã;

II: Importância do Ramadã e a obrigatoriedade do jejum;

III: Modos de jejuar o Ramadã;

IV: Refeição de Iftar (Desjejum);

V: Refeição de suhoor (Alvorada);

VI:Coisas que o jejuador deve fazer durante o seu jejum;

VII: Coisas que o jejuador não deve fazer durante o seu jejum;

VIII: Desculpas que dispensam o indivíduo da observancia do jejum de Ramadã, e como fazer a reposição dos dias em que não observou o jejum;
IX: Terminado o mês de jejum, a festa de muçulmanos chegou.

I: DEFINIÇÃO DO RAMADÃ

 Deus diz no Seu Livro: ((Ele foi Quem originou o sol iluminador e a lua refletidora, e determinou as estações do ano, para que saibais o número dos anos e seus cômputos. Deus não criou isto senão com prudência; ele elucida os versículos aos sensatos)).[Jonas/5]
  Deus criou a Lua para que saibamos quando inicia o mês e quando termina,  e isso acontece através da nossa visualização à lua; importa lembrar que por vezes  o mês completa 30 dias e nunca chega ater mais que isso ou  pode ter 29 dias e nunca chega a  ser menos que isso, e estes meses são conhecidos de meses (lunares ou da

 

 emigração ou semilunares etc), e num ano, há 12 meses,  que são conhecidos pelos  seguintes nomes:
1- Muharram

2- Suafar

3- Rabiul-Awwal

4- Rabius-sani

5- Jumadal-Ulá

6- Jumadal-Akhirah

7- Rajab

8- Sha'ban

9- Ramadan

10- Shawwal

11- Zul-qadah

12- Zul-Hijjah

E entre estes meses notamos que há um mês denominado por  Ramadã, e é nono mês do Calendário.

II: A IMPORTÂNCIA DO RAMADÃ E O DEVER DE SEU JEJUM

   É no mês de Ramadan  que foram revelados os primeiros versículos do Alcorão;
Allah Todo-Poderoso diz: ((O mês de Ramadã foi o mês em que foi revelado o Alcorão, orientação para a humanidade e vidência de orientação e Discernimento. Por conseguinte, quem de vós presenciar o novilúnio deste mês deverá jejuar...)); e, como é claro no versículo, Deus ordenou aos crentes a jejuarem este mês completo, como gesto de agradecimento da graça de Deus por lhes enviar este Nobre Alcorão, que é orientação humana e a felicidade eterna.

- O macho ao atingir a puberdade (os "15" anos) ou verificar-se nele o aparecimento dos  pêlos púbicos  ou ejacular (lançar o espermatozoide durante o sono),  então nesta situação ele deverá  começar a observar o jejum do mês do Ramadan, bem como a fêmea, quando atingir a puberdade ou aparecer-lhe pela primeira vez a menstruação, a partir dessa idade torna-se obrigatório para ela a observancia  do jejum do Ramadan, o Profeta Paz e Bênçãos de Allah estejam sobre ele, confirmou a sua importância/virtude, chegando a considerar o jejum um dos cinco (5) pilares do Islam; logo, é obrigatório para todo muçulmano adulto observar o jejum do mês do Ramadã na íntegra, para que possa lograr da recompensa do jejum, e para  que se salve do castigo de quem quebra no Ramadã sem desculpa nenhuma.

- Quanto ao pequeno, que não tenha atingido a puberdade, o jejum não é obrigatório para ele, mas é recomendável que a família muçulmana eduque os seus filhos, fazendo-lhes habituar o jejum ainda pequenos, de modo a se familiarizar com ele e, para não que encontrem dificuldades quando crescidos.

III: MODOS DE JEJUAR O RAMADÃ

   O Sentido do Jejum: é tensionar o jejum do mês de Ramadã na íntegra, abstendo-se durante o dia de três decoisas que invalidam o jejum, que se explicam a seguir:

1. Não consumir qualquer coisa, ou seja fazer abstinencia de tudo que é comestível ou que tem o significado de comida, como por exemplo: as agulhas nutritivas, etc.  Quanto às coisas que não têm significado de comida, são permitidas, tais como: a escova de dentes(miswak), e uso do perfume, etc.

2. Não beber nada, ou seja abster-se de tudo que é considerado de bebida ou que tem o significado de bebida, como por exemplo fumar, etc. Quanto às coisas que não têm o significado de bebida são permitidas faze-las, como: tomar banho, gotas para os ouvidos, ou colírio, e engolir a saliva, o uso de colgate... e algo semelhante.

3. Não manter nenhum contacto sexual com sua esposa, e que deve abster-se a fazer de tudo que provoca a sua excitação (durante o dia). Quanto ao simples beijo e abraço que se dá a esposa, estes não invalidam o jejum, não obstante o melhor é evitarem-se os beijos e amassos, especialmente aquela pessoa que não consegue conter-se em atender seu desejo. Quanto à questão de libertar o Semen/ espermatozoide ou gametas femeninas (no caso das mulheres)  durante o sono,  isto não invalida o jejum, por  ser um acto involuntário.

IV: REFEIÇÃO DE IFTAR (DESJEJUM)

- A refeição que o jejuador toma ao pôr do sol chama-se  de "Iftar" (Desjejum);

- De salientar que o jejuador é recomendado a  apressar-se a tomar a sua refeição de  (Iftar); logo após o por-do-sol e que não é recomendável retarda-lo, por exemplo até a hora da oração da noite (Insha).

-Ressaltar que é permissível o jejuador fazer o desjejum com qualquer tipo de comida,porém o melhor é quebrar o jejum com uma das variedades de tâmaras, as denomidadas (pelos árabes) de "Rutab" (tâmaras frescas), e quem não as tiver, então pode quebrar com qualquer tipo de tâmara e; quem não puder ter qualquer tipo de tamara, então que quebre com água.

- O jejuador deve respeitar as éticas islâmicas de comer ao quebrar o seu jejum, especialmente as éticas consideradas obrigatórias, das quais, as mais relevantes, que são as seguintes:

1- Dizer: Bissmillah (Em nome de Deus).

2- Comer com a mão direita.

3. Comer o que está ao seu lado (no prato, em caso de servir-se a comida para duas pessoas ou mais).

Se o jejuador quiser proferir uma das súplicas autenticas que constam do profeta ao  quebrar o seu jejum então que o faça, e terá a recompensa por isso, e dentre essas súplicas está o dito:
(ذهب الظمأُ وابتلَّت العروقُ، وثبت الأجرُ إن شاء الله).
(A sede se foi, as veias se restabeleceram e a recompensa está garantida, se Deus quiser).

V: REFEIÇÃO DE SUHOOR (ALVORADA)

  A refeição que o jejuador toma antes de Azhan (chamamento para a oração da alvorada), chama-se de Sahoor, e o recomendável ao muçulmano é retarda-la para um pouco até antes da aurora, e esta refeição (sahoor) é sem dúvida algum benéfica, visto que o muçulmano, precisa se manter forte durante o jejum do dia seguinte.

  É recomendável ao indivíduo que toma a refeição de Sahur respeitar as éticas islâmicas de comer ao tomar sua refeição, especialmente as éticas consideradas obrigatórias, das quais, as mais relevantes, que são as seguintes:

1. Dizer : Bissmillah (Em nome de Deus);

2. Comer com a mão direita;

3. Comer o que está ao seu lado (no prato, em caso de servir-se a comida para duas pessoas ou mais).

VI: COISAS QUE O JEJUADOR DEVE FAZER DURANTE O SEU JEJUM

- Se o jejuador conseguir preencher o seu tempo com  boas obras, isso é melhor, como: a recitação do Alcorão e o seu estudo, a oração, a recordação de Deus, dar caridade, proferir boas palavras que não sejam fúteis, mostrar boas maneiras para com as pessoas e invocar à Deus, enquanto ele estiver em jejum até ao momento de quebrar o seu jejum.

  Segundo Ibn Abbas (Deus esteja satisfeito com ele e seu Pai) ele disse: O Mensageiro de Deus (Paz e Bênçãos de Allah estejam sobre ele) era a pessoa mais genenora e era mais generoso no mês de Ramadã, quando o Arcanhjo Gabriel (A.S) viesse ao seu encontra, e o Arcanjo vinha em todas as noites do Ramadã a fim de ensina-lo o Alcorão. O Mensageiro de Deus, Paz e Bênçãos de Deus estejam com ele, era mais generoso que o vento soprando. De salientar queo jejuador  mesmo após o jejum, pode preencher o seu tempo observando as orações de Taraweeh com os muçulmanos,que desta feita ele irá receber uma grande recompensa no seu dia , assim como de noite.

VII: COISAS QUE O JEJUADOR NÃO DEVE FAZER DURANTE O SEU JEJUM

- O muçulmano quando estiver de jejum, deverá se abster de alguns aspectos detestáveis e proibidos; a luz de exemplo, não praticar atos imorais (não transgredindo os limites de Deus); e não proferir palavras indecentes ou cometer actos obscenos; não levantar a voz durante a sua conversa com as pessoas, mesmo se alguém provoca-lo, sua posição deverá se resumir em dizer: (eu estou em jejum).

   O Mensageiro de Deus (Paz e Bênçãos de Deus estejam com ele) disse: "Quem não deixar a mentira, a prática de actos obcenos e toda ação indescente; então Deus não necessita  deste que deixe a sua comida e bebida(alegando estar a observar o jejum) Relatado por Bukhari.

  E o Profeta (Paz e Bênçãos de Deus  estejam sobre ele) disse: (O jejum é um escudo, então o jejuador não pode insultar, nem ridicularizar e, se alguém o combater ou o insultar, que diga: "Estou de jejum”) Relato de Bukhari.

VIII: DESCULPAS QUE PERMITEM NÃO JEJUAR O RAMADÃ, E COMO PREENCHER OS DIAS QUEBRADOS

- Se o jejuador comer ou beber por esquecimento, então este pode completar o seu jejum, porque o esquecimento é uma desculpa e aceitável na sharia, e não precisa fazer a reposição num outro dia após o Ramadã.

- Assim como se o jejuador ignorar e comer algo ou beber (por ignorância), então este poderá completar o seu dia jejum; porque a ignorância é uma desculp aceitável na sharia, quer seja ignorante das regras do jejum ou ignorante da entrada do tempo ou a saída dele, e que não tem a obrigação de fazer a reposição num outro dia após o Ramadã.

- Bem como se a pessoa fôr imposta e obrigada a comer e/ou beber, então este também poderá completar o seu dia de jejum, porque a coerção é uma legítima desculpa e aceitável,  e que não tem a obrigação de fazer a reposição num outro dia após o Ramadã.

- Relativamente ao jejuador que tenha dormido e em caso de tiver  libertado o espermatozoides  durante o sono  polução  ou vulgo sonho molhado), seu jejum é válido e apenas tem a obrigação de tomar o banho maior.

- O muçulmano quando estiver de viagem, é permitido quebrar o jejum durante o dia de Ramadã, em seguida, após o mês do Ramadã terminar, deverá fazer a reposição do jejum em qualquer dia do ano e, se a pessoa que esteja de jejum viajar por dois dias durante o Ramadã e quebrar neles o jejum, deverá  fazer a reposição do jejum durante dois dias após o mês de Ramadan  e o mesmo deverá fazer, se ele viajar e quebrar dez (10) dias  no Ramadan, então terá de  observar a reposição de jejum de dez (10) dias durante o ano a partir do mês de Shawwal ao mês de Shaaban.

- Se o muçulmano estiver  de viagem e verificar da sua parte a capacidade de jejuar e que o jejum não é constitue um peso para ele, então ele poderá completar o seu jejum; visto que  a questão de não observar o jejum durante a viagem no mês de Ramadã, é uma permissão de Deus, que deprende-se assim que o indivíduo tem a opção de jejuar ou quebrar o jejum, ou seja escolhe o que é mais fácil para ele.

- Assim como se uma pessoa estiver doente e não poder jejuar no Ramadã, é permitida esta pessoa quebrar o jejum durante o dia no Ramadã, em seguida, após o mês do Ramadã findar deverá fazer a reposição do jejum em qualquer dia do ano e, se a pessoa que estea de jejum adoecer por dois dias durante o Ramadã e quebrar neles o jejum, esta deverá  fazer a reposição do jejum durante dois dias após o mês de Ramadã, assim também o mesmo deverá fazer, se ele adoecer e quebrar dez (10) dias  no Ramadã, então ele tem de jejuar dez (10) dias durante o ano a partir do mês de Shawwal ao mês de Shaaban.

- E tudo quanto parece doença, considera-se de doença, como por exemplo: o jejuador ao fazer a flebotomia e sair o sangue ruim de seu corpo ou doar sangue saudável de seu corpo; e isso dar efeito em seu corpo fazendo com que sinta-se debilitado por isso, como o doente.

- E uma mulher que lhe aparece a menstruação no Ramadã, é vedada de observar o  jejum e é obrigatório para ela interromper o jejum, em seguida, após o Ramadã deverá fazer a reposição do jejum no número dos dias que ela interrompeu o jejum de Ramadã.

- Assim como a mulher com sangramento pós-parto, aplica-se a ela a mesma regra da mulher que está no seu período menstrual.

- Quanto à mulher grávida e a mulher amamentadora, se o jejum fôr prejudicial à saúde dela ou a do seu bebê, então ela poderá quebrar o jejum, e que deverá fazer a reposição do jejum no número dos dias que ela quebrou durante o Ramadã.

- Quanto ao homem incapaz de jejuar durante todo o ano, seja no Ramadan ou em outros meses, e os médicos declararem que ele não será mais capaz de jejuar toda a sua vida, ele deve dar caridade, que se define em alimentar um pobre por cada dia que quebrar o jejum durante o Ramadã, e porque não jejuará trinta (30) dias, então deverá alimentar trinta (30) pobres como caridade com comida suficiente para todos eles.

IX: TERMINADO O MÊS DE JEJUM, A FESTA DE MUÇULMANOS CHAGOU

- Quando os muçulmanos jejuam o mês do Ramadã completo, findando este mês é o inicio da festa dos muçulmanos, que é denominada de "Eid al-Fitr", neste dia os muçulmanos  expressam sua alegria, porque eles cumpriram com o seu dever de adoração de jejume eles expressam sua alegria de várias maneiras, das quais as que se seguem:

1. Expressam sua alegria preenchendo o seu dia de agradecimentos à Deus, Aquele que prescreveu para eles o jejum e institui para eles esta magnifica religião.

2. Expressam sua alegria com Takbiir; repetem-na desde a noite anterior ao Eid até a ao amanhecer: (Allahu Akbar, Allahu Akbar, laa ilaaha illallah, Allahu Akbar, Allahu Akbar, Wa lillahil'hamdu).

Allah é  o Maior, Allah é O Maior, Não há  divindade digna de ser adorada senão Allah, Allah é O Maior, Allah é O Maior e todos louvores pertencem à Deus.

3. Expressam sua alegria dando caridade aos pobres e denominam-no de "Suadakatul-Fitr", se a pessoa tiver um agregado de seis pessoas na sua família que deseja dar a caridadade por eles, então deverá dar  seis esmolas aos pobres;  a quantidade de uma esmola é de 3 kg aproximadamente, de arroz ou trigo, ou o que as pessoas comem (em constância nama sociedade) , e doa aos pobres antes da oração do Eid.

4. Expressam sua alegria observando a oração de Eid após o nascimento do sol por um instante, observam dois rakaates em congregação com os muçulmanos, e eles usam da sua roupa a mais  bonita e se apresentam de forma descente.

   E todaos esses aspectos confirmam que a alegria dos muçulmanos nas (suas) festividades, não está associado a arrogância, nem vinho, nem imoralidade como muitos dos festivais de não-muçulmanos, porém, é uma festividade de ética, agradecimento, caridade, carinho, de unir laços uterinos, perdão, reconciliação e tudo de bom. De resaltar que acima desta festividade, os muçulmanos esperam a maior festa no dia de ressurreição quando finalmente entrarem nos jardins, onde morarão eternamente, onde comerão e beberão, homens e mulheres, onde não existe a morte, nem doença, nem  a velhice e nem a miséria, esta é uma grande vitória. Isto é o que faz com que os muçulmanos vivam sua vida real neste mundo, alegremente com coração dilatado; seja o que fôr que lhes atingir dos infortúnios da vida; ele mostram-se otimistas com o que está junto a Deus;

Allah diz: ((Tudo quanto vos tem sido concedido não é mais do que um gozo da vida terrena com os seus encantos; por outra, o que está junto a Deus é preferível e mais persistente. Não raciocinais?)). [28:60].





The article is available in the following languages